GT 04 OS VENTOS DO (RE)ENCANTAMENTO NAS NARRATIVAS DE AUTORIA FEMININA:
A PRESENÇA DA MITOPOÉTICA DOS ORIXÁS NAS ARTES AFRODIASPÓRICAS

Coordenação: Juciane Reis

“Quando os ventos da orixá sopram

até as raízes da grama

se apressam”

— Audre Lorde

(Os ventos da Orixá/ Trad. Tatiana Nascimento)


As narrativas de autoria feminina em derramamento e reencontro pela e na diáspora, assentadas sobre o mote da ancestralidade africana e as suas nuanças filosófico-religiosas, vertem em si propostas pautadas no (re)encantamento por meio da mitopoética dos orixás, presentes nas mais diversas artes enquanto referência e deferência à vocalidade abundante em àṣẹ e ritmo, seja na composição de oriki e/ou do ítan, constituindo a nível de afrobrasilidade o corpo-memória que dança, ginga e repete o saber-fazer em ritualização, tal qual o presente no jongo, no congado, na capoeira e nas religiões de matriz africana. Este GT abre-se à propostas que coadunem com Martins (1997, 2002, 2019), Pereira (2017), Simas (2018), Sodré (2017), entre outros. Serão aceitos os estudos sobre: epistemologia, memória, filosofia africana, autoria afrofeminina, narrativas afrodiaspóricas de gêneros diversos.